População lota Sessão da Câmara

“Plano Diretor”, reajuste salarial para agentes de saúde e epidemiológicos e “PrevExtrema” foram temas debatidos

 

A Câmara dos Vereadores de Extrema/MG ficou lotada durante a 24ª Sessão Ordinária, realizada na segunda-feira, 6/10. A mesa diretora deu conhecimento aos Projetos de Leis 2.059, 2.060 e 2.061e Projeto de Lei Complementar 129, além das indicações, moções e requerimentos. Foi feita também a leitura dos pareceres da assessoria jurídica, da Comissão de Finanças, Justiça, Legislação, Orçamento e Redação Final e da Comissão de Obras, Serviços Públicos e Desenvolvimento Urbano.

Confira como ficou a votação dos projetos:

  • Projeto de Lei 2.059, processo 100/14: “Autoriza o Poder Executivo a fazer abertura de crédito suplementar no Orçamento do corrente exercício de 2014, para atender suas necessidades e dá outras providências” – R$ 3.316.822,40 – aprovado por dez votos;
  • Projeto de Lei 2.060, processo 101/14: “Autoriza o Poder Executivo a fazer abertura de crédito especial no Orçamento do corrente exercício de 2014, para atender suas necessidades e dá outras providências”, no valor de R$ 35 mil – aprovado por dez votos;
  • Projeto de Lei 2.061, processo 102/14: “Dá denominação a logradouro público e dá outras providências” – Rua Maura Borges Mayernyik (Autor: Edvaldo de Souza Santos Junior) – aprovado por dez votos;

Os PLCs 129 (que altera dispositivos do Plano Diretor de Extrema) e 133 (a qual refere-se ao reajuste salarial dos agentes comunitários de saúde e epidemiológicos) e o Projeto de Lei 2.040 (PrevExtrema) foram levados à debate e contaram com as explicações de Kely Regina Bertolotti – superintendente do Prevextrema (fundo de pensão do servidor municipal) – e da secretária de Recursos Humanos da Prefeitura, Eliane Alvarenga. Tanto o Prevextrema quanto a questão salarial serão objetos de deliberação plenária e aguardam análise da Casa de Leis e votação.

Em seu discurso, o presidente da Câmara, vereador José Maria do Couto, sugeriu a criação de um artigo na referida lei que concede aumento no reajuste dos colaboradores públicos epidemiológicos e comunitários da Saúde. Para ele, todos devem receber o aumento: “O benefício não pode ser apenas para uma pequena parcela de funcionários e sim para todos. A Câmara entende a explicação técnica da Secretaria de Recursos Humanos mas para que seja votado com exatidão, tem que estar explícito na Lei”, enfatizou. Todas as indicações dos vereadores estão no site www.camaraextrema.mg.gov.br (Fonte: ASCOM / Câmara Municipal de Extrema / Léo Demeter – Mtb 13.896 MG – Jornalista)

4

3

2

1