Câmara de Extrema marca presença na Mobilização Nacional dos Vereadores

Os vereadores João Calixto de Morais, Sidney Dias dos Reis – vice-presidente da mesa diretora –, Leandro Marinho – primeiro secretário – e José Maria do Couto – presidente da bancada legislativa – estiveram em Brasília/DF entre os dias 6 e 8/05 durante a 2ª Mobilização Nacional dos Vereadores.

Segundo os edis, a participação de Extrema no evento torna-se fundamental porque o município estreita o fortalecimento com as mais altas esferas parlamentares e fortalece o vínculo na elaboração de projetos através do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). O evento foi realizado no Auditório Petrônio Portela do Senado Federal.

“Pudemos participar de inúmeros debates que trataram das reformas política e tributária, do orçamento municipal impositivo, da transparência na gestão pública, da elaboração de emendas individuais e das propostas e emendas constitucionais de interesse das câmaras municipais”, contam os vereadores.

Em entrevista, os vereadores disseram que torna-se necessário o envolvimento de Extrema na Mobilização porque o município precisa de políticas públicas direcionadas à gestão social. “A atual legislatura da Câmara tem a obrigação de favorecer o crescimento municipal através da implementação de projetos destinados ao desenvolvimento da cidadania, de forma geral. Devemos estimular e incentivar as ações que tratam da saúde, educação, meio ambiente, transporte, esporte, cultura, turismo e outras pastas. Por isso a Câmara precisa estar a par do que acontece no Senado, para trazer o melhor para o nosso município”, destacaram. Os vereadores salientaram ainda que cabe ao vereador fiscalizar o Poder Executivo e aproximar, ainda mais, o cidadão da Casa de Leis: “O Legislativo é um poder independente que trabalha exclusivamente para o povo”, afirmaram. Eles ainda acompanharam a votação, na Câmara dos Deputados, onde ficou aprovado o piso nacional para os agentes de saúde e de combate à epidemia com jornada de 40 horais semanais (com piso de R$ 1.040). “O próximo passo é o Senado aprovar – e ser sancionada a Lei. Nós vereadores ficaremos atentos para solicitar ao Executivo a adequação”, finalizaram.

MobilizacaoDestaque