Aprovado relatório da CPI que investiga obras públicas em Extrema

Foi aprovado na Sessão Extraordinária da Câmara dos Vereadores de Extrema/MG o relatório que investiga a construção dos banheiros públicos do Parque Municipal de Eventos “Esdras José Zíngari”. A votação, realizada na sexta-feira, 8/08, terminou em cinco votos favoráveis (vereadores João Calixto de Morais – presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito –, Carlos Renato de Oliveira – relator –, Sidney Dias dos Reis – vice-presidente –, Leandro Marinho – primeiro secretário –, e Danilo de Morais); contra quatro votos (Márcio José Vieira, Luiz Fernando Ferreira, Silvio Gomes de Oliveira e Edvaldo Souza Santos Júnior).

Na tribuna, o presidente da CPI, vereador João Calixto, versou a ética política e traduziu, em rápidas palavras, o fundamental papel do Legislativo em fiscalizar os processos público-administrativos. José Maria do Couto salientou: “Não existe nada político neste processo”. Ele acrescentou ainda: “O profissional que relatou e avaliou as informações é extremamente técnico e idôneo. Este profissional é de outro estado e esteve comprometido em orientar, tecnicamente, a Comissão e os demais vereadores. Isso mostra o nosso compromisso com a verdade, acima de tudo”.

Durante a reunião, Carlos Renato apresentou a ata que constava as informações técnicas levantadas pela Comissão de Inquérito. “Nós trabalhamos em prol do cidadão. Agora, não forçamos o psicológico de nenhum colaborador ou funcionário público durante a apuração dos fatos”, destacou o relator. Leandro Marinho acrescentou que os processos investigatórios, levantados pela Câmara por meio da Comissão, versam a transparência dos atos públicos e o respeito cidadão. Danilo de Morais, na tribuna, finalizou o seu discurso parafraseando: “O respeito político começa através do seu maior bem que é o cidadão; Por isso devemos priorizar as regras de conduta social que trabalham o coletivo – não o individual. Porque quem não deve não teme!”. Márcio Vieira, Edvaldo Junior e Luiz Fernando defenderam na Plenária o motivo pelo qual votaram contrários à aprovação do relatório da CPI.

Aprovado pela Comissão, o relatório será encaminhado ao MP (Ministério Público) e ao TCE/MG (Tribunal de Contas do Estado) para que sejam tomadas as providências legais. (Fonte: ASCOM / Câmara Municipal de Extrema)

 

1

 

 

2

3

4

5

6