Vice-presidente da Copasa realiza reunião na Câmara dos Vereadores de Extrema

Presidente da Câmara Leandro Marinho

Na última sexta-feira, 29, representantes da empresa Copasa estiveram em Extrema – MG para analisar investimentos na cidade que está em crescente expansão e aproveitaram para visitar a Câmara de Vereadores, e foram recebidos pela Diretora Administrativa e Financeira Fabiana Paulino e pelo Diretor de Comunicação João Paulo Féher, representando o Presidente da Câmara, Leandro Marinho.

O Vice-presidente da Copasa Tadeu José de Mendonça veio acompanhado do Encarregado de Materiais do Distrito de Pouso Alegre Ricardo Moreira, do Encarregado de Sistemas Benedito Humberto da Silva, do Técnico Químico Arnaldo Pereira Alves e do Encarregado de Patrimônio e Transporte Waldir de Souza.

Tadeu fez questão de reforçar a importância do papel do vereador dentro do município, para ele o legislador é o principal canal do povo junto ao executivo, é aquele que zela pelo bem estar de todos e está sempre em contato com a população.

O Presidente Leandro Marinho enviou recentemente um ofício ao Ministério Público de Minas Gerais, para a Promotora de Justiça Dra. Rogéria Cristina Leme, solicitando providências sobre a taxa de esgoto cobrada sem haver tratamento do mesmo e também pelos lançamentos de esgoto in natura no Rio Jaguari. Segundo o ofício, a Copasa lesa os munícipes de duas formas: cobrando por um serviço de tratamento inexistente e pela poluição dos recursos naturais da cidade.

Segundo o Presidente da Câmara Municipal, Leandro Marinho, “A Copasa tem que acompanhar o crescimento de Extrema para melhorar a qualidade de vida do cidadão que paga suas contas e quer um serviço de qualidade”. Leandro Marinho ainda completou que a empresa tem que investir mais no município. “Extrema gera uma alta receita para a Copasa e a empresa tem que investir mais na cidade para não termos mais problemas de desabastecimento de água e também com os lançamentos de esgoto in natura no Rio Jaguari”.

O Vice-presidente da companhia salientou que a empresa está realizando estudos sobre o abastecimento e o tratamento de água em Extrema para evitar que situações como estas continuem a se repetir.